Buscar no site

27/fev/2009

Ansiedade de separação na infância

Autor(a): Jason Jair Frutuoso

O QUE É?

Segundo o CID 10, é uma perturbação focalizada no temor relacionado com a separação, ocorrendo pela primeira vez durante os primeiros anos da infância. Distingue-se da angústia de separação normal por sua intensidade (gravidade), evidência excessiva, ou por sua persistência para além da primeira infância e por sua associação com uma perturbação significativa do funcionamento social.

O temor da separação faz com que a criança desenvolva mecanismos mentais para superar o conflito que surge entre o desejo e o medo de se separar da pessoa amada. Tais mecanismos geram a confiança necessária para que ela caminhe por outras fases do desenvolvimento, o que ocorre ao longo de toda a vida – portanto, a resolução da Ansiedade de Separação é um fator decisivo para o crescimento global da pessoa.

É MOTIVO PARA PREOCUPAÇÕES?

Não, quando ocorre dentro dos limites aceitáveis – considerados normais. Mas quando é excessiva ou extrapola o limite dos três ou quatro anos de idade os pais devem procurar orientação profissional.

QUAIS PROFISSIONAIS PROCURAR?

A princípio é importante procurar um(a) psicólogo(a) especialista em crianças,  mas dependendo da gravidade do caso é necessário também avaliação e tratamento com um psiquiatra  especialista em criança.

QUANDO A ANSIEDADE DE SEPARAÇÃO É MAIS COMPLICADA?

Minha experiência no trabalho com crianças tem demonstrado que esta psicopatologia torna-se um tanto mais complicada na medida em que a criança vai ficando mais velha. Se quando ela era pequena, estar grudada à mãe não chamava atenção, agora, mais velha, ela própria já começa a se envergonhar de seus colegas e a cada dia se vê obrigada a negar participações em eventos sociais para os quais é solicitada. Então, para evitar tais convites, ela acaba se isolando.

A criança portadora de ansiedade de separação necessita da presença dos pais por tempo demasiadamente longo, tornando-os muito angustiados, o que não ocorre com aquelas não portadoras de tal psicopatologia. Por isto, muitas vezes recomendamos também orientação familiar, por um terapeuta especialista em família.

Para orientação de profissionais que trabalham com crianças, colocarei abaixo alguns sinais que podem levar ao diagnóstico da ansiedade de separação(fonte: www.psicosite.psc.br)

  • A criança manifesta uma preocupação irreal e aflitiva quanto a um possível dano às pessoas diretamente relacionadas a ela.
  • há uma persistente relutância em ir a escola por medo de ficar longe dos pais.
  • Quer dormir próximo ou com os pais ou não quer dormir antes dos pais.
  • Tem um medo inapropriado de ficar sozinha em casa.
  • Tem pesadelos sobre separação dos pais (não quer separar-se dos pais) – Pesadelos em crianças são indicativos de fatores estressantes para elas.
  • Tem queixas físicas como náuseas, dores de estômago ou de cabeça, vômitos, nos momentos em que precisam separar-se dos pais como na hora de ir ao colégio ou sair de casa.
  • Manifesta ansiedade excessiva com choro, acessos de raiva, apatia ou retraimento social após ter sido obrigada a ficar longe dos pais como no retorno às aulas.
 
Design: Fábrica de Criação   |   concrete5 - open source CMS © 2017 Jason Jair Frutuoso.    Todos direitos reservados.