Buscar no site

29/set/2018

A BORBOLETA DO AMOR

Autor(a): JASON FRUTUOSO

Numa noite inusitada,

Peguei um voou silencioso,

Nas asas de uma borboleta.

Não era sonho,

Tampouco Invenção da mente.

Era tudo muito real,

Nunca antes vi nada igual.

 

A borboleta foi crescendo,

Voando, planando sobre o planalto.

Não era sonho nem alucinação,

Era o sobrevoou na capital da esperança,

Eu comandante das asas da liberdade.

Naquele dia era só bonança.

 

Quase no fim da jornada

Havia centenas de borboletas.

Outras tantas foram chegando

E minha guia acompanhando,

Até virarem milhares delas.

Foi no silêncio da madrugada,

E não era ilusão nem nada.

 

Ao final daquela noite,

Minha guia já cansada,

Dona de uma vida efêmera,

Fora perdendo forças.

E para me proteger,

Diminuindo a altitude.

 

Voa borboleta, voa,

Vá buscar a liberdade,

Vá atrás da serenidade,

Levando em sua bagagem,

A receita do velho amor

E a fórmula para vencer a dor.

 
Design: Fábrica de Criação   |   concrete5 - open source CMS © 2019 Jason Jair Frutuoso.    Todos direitos reservados.