Como nasceu o livro

O livro “Samuel e o Bezerro Dourado” nasceu da inquietação do autor sobre inúmeras pessoas, as quais conhecera durante o tempo em que viveu na região de Minas Gerais, onde ocorrera a história. Tudo poderia passar desapercebido como ocorre na maioria das vezes com crianças. Mas, Jason Frutuoso foi um menino muito sensível, capaz de captar quase tudo que ocorria a sua volta. O resultado desse jeito de ser e de viver, fez com que guardasse dentro de si, imagens de inúmeras pessoas que, com traços fortes e marcantes não conseguiram ficar acomodadas dentro dele.

O livro nasceu do desejo do autor, mas também da pressão interna exercida pelas personagens que queriam sair da sombra e correr mundo através da imaginação de cada leitor.

O livro é uma ficção, embora o autor tenha se inspirado em dados reais, porque não há história que não seja a projeção de experiências do escritor. Reparando nos objetos fabricados por um artesão que trabalha com restos mortais de arvores, pude entender que de verdade não há restos mortais: tudo se transforma nas mãos do artista. Com ousadia comparei o escritor com aquele artesão e percebi que dentro de nós, também não existem restos mortais, porque, até os traços humanos que há muito andam perdidos podem transformar-se em belas histórias, como aquele artista transformou o que chamamos de restos mortais de árvores em belas obras de arte.

 
Design: Fábrica de Criação | concrete5 - open source CMS © 2017 Jason Jair Frutuoso. Todos direitos reservados.